♫♪ ↻ tentei eu  tanto seduzir um daruma de neve ♪♪ nunca me deu qualquer bola até que numa bela manhã de calor ☼, ele derreteu ზ


        ♫♪

tentei eu  tanto

seduzir um daruma de neve

♪♪ nunca me deu qualquer bola até que

numa bela manhã de calor , ele derreteu


TAKUAN
.
takuan soho possivelmente teve linhagem que chegou até mesmo aos templos modernos de shizuoka e ainda é transmitida. ele não fazia qualquer diferença entre a espada e o zen. em sua época, aconselhava que um criminoso impertinente q. tivesse cometido delito irreparável não deveria ter o corpo apenas utilizado para testar a qualidade das lâminas recém forjadas dos bushis, como era costume no caso de crimes menores, deveria sim é ter seu corpo cortado e separado numas doze partes, estas teriam que permanecer bem expostas em vários pontos da cidade para que servissem de exemplo. a cabeça lanhada, sem grande necessidade de detalhes, a não ser um corte minimamente rápido e preciso acima do pescoço, deveria ficar suficientemente estável num pedestal de madeira, em cima de uma prancha sob um lenço de papel tingido de vermelho escurecido pois embebido do excesso do sangue já um tanto grosso e viscoso, ela ficaria melhor mostrada numa praça central ou na entrada do vilarejo; as mãos, bem talhadas num corte acima da altura dos pulsos, com as palmas voltadas para cima, sem os nervos muito tensos fechando os dedos em punhos, ficariam na frente de estabelecimentos de comércio e casas de refeição; pernas e pés decepados sem muitos detalhes, podiam ser deixados em ruas próximas às saídas para as estradas em pequeninas jaulas de madeira; tronco e estômago suficientemente limpos de tripas que escorrem e de gordura amarelo-escura que descolam-se com ligeira facilidade dos ossos partidos e demais pedaços ficariam em outros locais de menos trânsito. assim deveria agir um  administrador razoável que zelasse por suas responsabilidades. é convenção q. algo que não apresente certo nível de contundência e dificuldade não pode ser considerado o caminho:
:O きびしいねバディ!
 
Olho de Lince . quem fala que sou esquisito hermético é porque não dou sopa estou sempre elétrico nada que se aproxima nada me é estranho                                     fulano sicrano beltrano seja pedra seja planta seja bicho seja humano quando quero saber o que ocorre à minha volta ligo a tomada abro a janela escancaro a porta experimento invento tudo nunca jamais me iludo quero crer no que vem por aí beco escuro me iludo passado presente futuro                                      urro arre i urro viro balanço reviro na palma da mão o dado                                      futuro presente passado tudo sentir total é chave de ouro do meu jogo é fósforo que acende o fogo de minha mais alta razão e na sequência de diferentes naipes                                       quem fala de mim tem paixão . . (Waly Salomão)

Olho de Lince

.

quem fala que sou esquisito hermético
é porque não dou sopa estou sempre elétrico
nada que se aproxima nada me é estranho
                                    fulano sicrano beltrano
seja pedra seja planta seja bicho seja humano
quando quero saber o que ocorre à minha volta
ligo a tomada abro a janela escancaro a porta
experimento invento tudo nunca jamais me iludo
quero crer no que vem por aí beco escuro
me iludo passado presente futuro
                                     urro arre i urro
viro balanço reviro na palma da mão o dado
                                     futuro presente passado
tudo sentir total é chave de ouro do meu jogo
é fósforo que acende o fogo de minha mais alta razão
e na sequência de diferentes naipes
                                      quem fala de mim tem paixão

.

.

(Waly Salomão)

Fuja, fuja Fuja pra longe Se esconda (de seu sangue dos seus cabelos) Pra Asgard Para as Ilhas Cayman Fuja pra Europa, meu bem Brasil é q. é peso Peso demais pra você . . (Lao de Sunga)

Fuja, fuja

Fuja pra longe

Se esconda

(de seu sangue

dos seus cabelos)

Pra Asgard

Para as Ilhas Cayman

Fuja pra Europa, meu bem

Brasil é q. é peso

Peso demais pra você

.

.

(Lao de Sunga)

rev(m)i(zu)ver menezes
.
.
.
poema acima de Philadelpho Menezes
永嘉证道歌 之一  . 狮子吼  无畏说 百兽闻之皆脑裂 香象奔波失却威 天龙寂听生欣悦 . . Da Canção do Caminho de Yong Jia (I) . rugir de leão palavra sem medo cem animais escutam seus crânios estalam perde a grandeza um elefante perfumado dragões celestes ouvem em intenso prazer . . (Tradução: Ricardo Portugal e Tan Xiao)

永嘉证道歌 之一

 .

狮子吼  无畏说

百兽闻之皆脑裂

香象奔波失却威

天龙寂听生欣悦

.

.

Da Canção do Caminho de Yong Jia (I)

.

rugir de leão palavra sem medo

cem animais escutam seus crânios estalam

perde a grandeza um elefante perfumado

dragões celestes ouvem em intenso prazer

.

.

(Tradução: Ricardo Portugal e Tan Xiao)

dragão e fundo branco
17 de janeiro de 2014
.
.
.
Grupo de Libertação Pinho Sol
André Vallias - http://andrevallias.tumblr.com/
.
.
.
banda sem nome - https://www.facebook.com/pages/A-Banda-Sem-Nome/109517995756806?fref=ts
evento rural sonora vegan 15/12/2013
foto por amandla rocha - http://gottanz.wix.com/amandlarocha#!